Quinta-feira, Fevereiro 2, 2023
Publicite Aquí
InícioActualidadeAFRICELL prevê aumento de capacidade e acessibilidade

AFRICELL prevê aumento de capacidade e acessibilidade

A nova operadora de telefonia móvel, Africell considera setor de telecomunicações “indispensável” para diversificação da economia angolana. O administrador não executivo da empresa de telefones, disse que o aumento da velocidade e da acessibilidade e a melhoria das capacidades são necessidade para qualquer país.     

O administrador não executivo do Grupo Africell, embaixador J. Peter Pham, considerou que um sector de telecomunicações desenvolvido “é indispensável” para a diversificação da economia angolana.

“Eu penso que o aumento da velocidade, o aumento da acessibilidade, a melhoria das comunicações são necessários para qualquer país, onde quer que se encontre, no seu caminho de desenvolvimento, mas certamente para os países que procuram a diversificação é uma condição indispensável”, disse o académico e diplomata norte-americano, em entrevista à agência Lusa, após uma visita a Angola.

Infraestruturas e serviços de telecomunicações são “essenciais”, continuou, para “atrair o investimento, especialmente à medida que o mundo se torna cada vez mais baseado no conhecimento, quando as pessoas trabalham mais virtualmente”.

Mesmo “economias tradicionais baseadas nas [indústrias] extrativas e outras, é preciso acesso para a sua gestão, nada é puramente mecânico”, disse, exemplificando com os leilões de diamantes que se realizaram em Luanda, mas atraíram interesse mundial.

A Africell foi a vencedora do concurso público internacional para a quarta licença universal de comunicações móveis em Angola, lançado pelo Governo angolano, com o objetivo de reformar o setor e de contribuir para o maior desenvolvimento da sua economia.

O grupo, de capital norte-americano, mas gerido a partir de Londres, prometeu investir “várias centenas de milhões de dólares” em infraestruturas e serviços e começar a operar ainda em 2021, estimando que nos próximos cinco anos sejam criados 6.500 postos de trabalho.

A Africell quer criar em Angola uma rede móvel de alta velocidade e centrada em dados e telemóveis `smartphone` sofisticados a preços acessíveis, à semelhança do que faz no Uganda, Serra Leoa, Gâmbia e República Democrática do Congo, onde tem uma base estimada de 12 milhões de clientes.
Pham, ex-enviado especial dos Estados Unidos para a região do Sahel e atual membro do Conselho do Atlântico, entrou para a administração no início do mês e duas semanas depois juntou-se numa viagem aos diferentes mercados onde o grupo opera, incluindo Luanda.

Em Angola, disse à Lusa, encontrou um novo dinamismo criado pela presidência de João Lourenço e a campanha contra a corrupção. a qual “deu confiança, que levou não só a Africell, mas outras empresas a investir na economia angolana, algo que não se via há muito tempo fora da indústria do petróleo”.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Recent Comments