Terça-feira, Janeiro 31, 2023
Publicite Aquí
InícioSociedadeGafanhotos destroem culturas em mais de dois mil hectares de vários produtos

Gafanhotos destroem culturas em mais de dois mil hectares de vários produtos

Mais de 2.250 hectares com produção de milho, massango e massambala, nos municípios do Cuangar, Calai, Dirico, Mavinga e Rivungo, foram devastados pela praga de gafanhotos que assola o Cuando Cubango, desde o passado mês de Outubro, revelou, ontem, em Menongue, o coordenador de Projectos da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) em Angola.

Mpanzo Domingos prestou esta informação à imprensa, no arranque da acção formativa sobre Monitorização dos Gafanhotos, dirigida a técnicos das províncias do Huambo, Bié e Cuando Cubango, com recurso ao uso do aplicativo Elocust3, um sistema de registo inovador, adequado para locais remotos, no sentido de permitir a detenção de surtos de gafanhotos e de outros insectos.

 O responsável disse que os gafanhotos devastaram 600 hectares com diversas culturas no Cuangar, Rivungo, Calai, Mavinga, Dirico e em Menongue.

 À luz do Plano de Combate à Praga de Gafanhotos na província, informou, foram mapeados cinco milhões de hectares, dos quais quatro milhões consideradas áreas de prováveis ocorrências, e apenas 350 foram pulverizadas desde Fevereiro último, com o recurso a meios aéreos.

 Nos municípios afectados pela praga, segundo o alto funcionário da FAO, foram formados 48 técnicos, que estão distribuídos em brigadas, “para ajudarem a conter esta calamidade, que ameaça a segurança alimentar das populações”.
 “Nos municípios onde a situação é descrita como critica”, acrescentou, “estão a ser monitorizados os locais infestados, através do aplicativo Elocut3, desenvolvido pela FAO e parceiros.
 
Formação de formadores

 A representação da FAO em Angola, em parceria com o Ministério da Agricultura e Pescas, promoveu na província uma acção formativa de Formadores de Brigadistas de Combate à Praga de Gafanhotos, na qual participaram técnicos locais do Bié e do Huambo, que aprenderam técnicas sobre Aspectos Teóricos de Monitorização dos Gafanhotos, Aplicação do Programa Elocust3 na Monitorização e Controlo dos Insectos, Manuseio dos Pesticidas e bem como tiveram aulas práticas no campo.

Os participantes foram ainda dotados de habilidades e competências sobre a recolha de dados fiáveis, técnicas inovadoras de monitorização de gafanhotos, Biologia do Insecto e Aplicação Teórica e Prática da Plataforma Elocust3 na Monitorização dos Gafanhotos.

 Por sua vez, o director do Gabinete Provincial da Agricultura e Pescas, António Pereira, sublinhou que o combate a esta praga, “não é apenas uma tarefa da FAO ou do Ministério da Agricultura, “mas de toda a sociedade, para que se possa mitigar o impacto negativo que estes insectos causam às culturas”.

Fonte:JA

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Recent Comments