Segunda-feira, Março 4, 2024
Publicite Aquí
InícioSociedadeGarantidas 200 mil merendas diárias para mil escolas do país

Garantidas 200 mil merendas diárias para mil escolas do país

Um total de 200 mil merendas escolares vão ser distribuídas, diariamente, a alunos do ensino primário de mil escolas, identificadas em 53 municípios de 13 províncias, num projecto da iniciativa do grupo empresarial “Carrinho”.

O secretário de Estado para a Acção Social, Lúcio do Amaral, que anunciou o facto, em Luanda, explicou que a parceria com o referido grupo empresarial decorre de uma acção de responsabilidade social, que visa aumentar a cobertura da merenda escolar no ano lectivo 2021/2022, com início para o próximo mês de Setembro.

Numa reunião, por vídeo-conferência, com os vice-governadores e responsáveis do Ministério da Educação nas províncias contempladas, o secretário de Estado referiu que a parceria do Executivo com o grupo empresarial “Carrinho” é um projecto-piloto, para descobrir outras cooperações com empresas de sectores mais vitais no desenvolvimento da sociedade.

Lúcio do Amaral salientou que, no âmbito da execução do Programa da Merenda Escolar (PME), por razões de ordem logística, não foram incluídas todas as províncias, mas, de acordo com o protocolo de implementação, há garantias da sua evolução para, dentro de três anos, abranger todo o território nacional.

Nesta primeira fase do programa vão ser contempladas escolas dos municípios do Bengo, Benguela, Bié, Cuanza-Norte, Cuanza-Sul, Cunene, Huambo, Huíla, Lunda-Norte, Lunda-Sul, Malanje, Moxico e Uíge.

Menos abandono escolar

O director da Unidade Técnica de Acompanhamento e Supervisão do Combate à Pobreza, Miguel Pereira, disse que PME, com implementação desde 2013, visa distribuição de alimentos e suplementos nutritivos para o desenvolvimento das crianças de escolas públicas e comparticipadas do ensino primário.

Considerou que o PME tem estado a estimular as capacidades de aprendizagem, prevenir situações de insucessos ou abandono escolar das crianças e, desde a sua execução, garantiu o aumentado das taxas de retenção escolar, sobretudo, no meio peri-urbano e rural.

Sobre Cabinda, Cuando Cubango, Luanda, Namibe e Zaire, províncias não abrangidas, nesta primeira fase, Miguel Pereira explicou que a Unidade Técnica de Acompanhamento e Supervisão do Combate à Pobreza vai inseri-las no ano lectivo 2023/2024, tendo em conta que o projecto é de âmbito Nacional.

FOnte:JA

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Recent Comments