Quinta-feira, Fevereiro 2, 2023
Publicite Aquí
InícioActualidadeHomem de mão cheia quer ver o Brasil a investir mais em...

Homem de mão cheia quer ver o Brasil a investir mais em Angola- Empresário Minoru Dondo

O empresário brasileiro-angolano Valdomiro Minoru Dondo, tem defendido nos últimos tempos, em Luanda, um maior incentivo do governo brasileiro para que os brasileiros invistam em Angola e quebrem o ritmo de decréscimo das relações comerciais verificados nos últimos anos.

O empresário Valdomiro Dondo, é considerado como um dos empresários de maior sucesso em Angola, presente no país há 35 anos, notou que a relação comercial Brasil/Angola, “decresceu muito” nos últimos anos, o que no seu entender “não se justifica”.

“Nós fazemos muito esforço para trazer colegas para cá”, disse Valdomiro Dondo, manifestando o seu interesse no segmento da agroindústria em parceria com empresários brasileiros que “têm tecnologia, ‘know-how'”, lembrando que a similaridade de produtos agropecuários que se produzem no Brasil podem ser produzidos em Angola.

“Nós vemos que falta contrapartida de sensibilização do governo brasileiro junto ao empresariado. O exemplo é que hoje o transporte marítimo Brasil/Angola praticamente não existe, a ligação aérea está suspensa, então isso torna muito difícil”, realçou.

Há 35 anos em Angola, Valdomiro Dondo começou a sua atividade empresarial em Angola na década de 1980 com o comércio de alimentos exportados do Brasil, expandindo mais tarde os seus negócios para outros setores, sendo hoje detentor de mais de 20 empresas, nos segmentos dos transportes, banca, saúde, imobiliário, tecnologias de informação, mineração, restauração, bebidas e agricultura.

O empresário afirma ter investido no país africano acima de 500 milhões de dólares (420 milhões de euros), mas reconhece que a “realidade atual está bem diferente do era há dois anos”.

Em declarações à agência Lusa, Valdomiro Minoru Dondo, disse que “a economia decresceu um pouco com a pandemia”, o que levou a uma redução de pelo menos 2.000 postos de trabalho dos 5.000 que conseguiu criar com os seus negócios.

População aplaude a iniciativa

António José, está alinhado com a ideia do empresário. “Concordo queremos mais investimentos para Angola, desde que sejam legais e parceiros que aceitam as políticas do nosso país e estamos prontos para proteger estes investimentos e principalmente a minha província que precisa crescer.” Frisou.

Sebastião Pedro Ngong, avança que as infra-estruturas, construídas de raiz, ajudam no crescimento e desenvolvimento das populações, diz o analista.

A população por onda passa a Macon, têm se manifestada satisfeita pelos ganhos. Um dos decanos ouvidos pelo nosso jornal realçou, na sua intervenção, a qualidade registada nos serviços de assistência médica e habitacional. A Neofarma, tem sido também um grandes intervenientes nesse processo de ajuda as comunidades.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Recent Comments