Terça-feira, Janeiro 31, 2023
Publicite Aquí
InícioSociedadePAPE cria mais de 22 mil postos de trabalho no país

PAPE cria mais de 22 mil postos de trabalho no país

Um total de 22.922 postos de trabalho foi criado, em todo o país, através da execução do Plano de Acção para a Promoção da Empregabilidade (PAPE), desde o seu lançamento em 2019, revelam dados apresentados, quinta-feira, em Luanda, pelo secretário de Estado para o Trabalho e Segurança Social.

Pedro Filipe, que falava durante o briefing do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social (MAPTSS) com os jornalistas, disse que a referida cifra representa 27,45 por cento da meta estabelecida pelo PAPE de beneficiar, directamente, 83.500 jovens.

O secretário de Estado esclareceu que a subida exponencial dos números do PAPE passarão a ser mais evidentes até ao final do ano, tendo em conta a nova dinâmica de distribuição e da autonomia dada aos serviços provinciais do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional (INEFOP).

Pedro Filipe reconheceu que as empresas e as instituições públicas não terão a capacidade de resolver o problema da empregabilidade. Por este motivo, uma das linhas estruturantes de execução do PAPE tem a ver com o incentivo ao empreendedorismo.

Nesta iniciativa, o PAPE tem feito parcerias com instituições financeiras bancárias, no sentido de conceder micro-crédito aos jovens que se candidatam ao plano, tendo como meta dez mil beneficiários, sendo que, neste momento, 3.722 já foram contemplados.

O secretário de Estado esclareceu que a taxa de juro para o micro-crédito é bonificada e corresponde a 1.67%, com um período de graça de três meses, para depois ser pago em um ano.
Pedro Filipe disse que os valores do micro-crédito estão estipulados em 300 mil kwanzas, mínimo, e vão até aos sete milhões.

Dentro do PAPE está também inserido o fomento ao autoemprego, destinado essencialmente para a distribuição de kits profissionais, mediante criterioso processo de selecção, após um período de formação, em que os jovens recebem materiais de diversas profissões, desde a jardinagem, carpintaria, alvenaria, corte e costura, culinária, serralharia, electricidade e cabeleireiro.

O responsável esclareceu que os kits servem de incentivo para fomentar a empregabilidade, sendo que a meta de distribuição é atingir 42 mil pessoas, tendo já abrangido 5.132 jovens.

Estágios profissionais

Noutra vertente, o secretário de Estado para o Trabalho e Segurança Social assegurou que os estágios profissionais são pagos pelo Estado, num valor que vai até 60 mil kwanzas por mês.
Pedro Filipe considera que o estágio profissional é uma ferramenta valiosa para viabilizar a inserção dos jovens ao mercado de trabalho.

Referiu ser normal que, pela falta de experiência de alguns jovens quando saem das universidades e dos centros de formação profissional, os empregadores tenham algum receio em empregá-los.
Mas, referiu que esta ferramenta, o PAPE, tem ajudado a quebrar estas barreiras, assumindo em seis meses o salário referente ao estágio.

Neste momento, 478 jovens estão em estágios profissionais em empresas da Câmara do Comércio de empresas chinesas, Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), União Europeia, na fábrica têxtil de Benguela e na Petromar.

Pedro Filipe realçou que “se não investirmos na formação profissional e capacitar convenientemente os nossos quadros, dificilmente vamos alcançar os resultados esperados”. O PAPE visa alcançar 83.500 jovens, até 2022, nas vertentes da formação, empreendedorismo, micro-créditos, distribuição de kits profissionais e estágios.

Fonte:JA

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Recent Comments