Quarta-feira, Maio 22, 2024
Publicite Aquí
InícioEconomiaMinistro da Indústria e do Comércio garante: "Agricultura familiar vai merecer atenção...

Ministro da Indústria e do Comércio garante: “Agricultura familiar vai merecer atenção especial”

O ministro da Indústria e do Comércio, Victor Fernandes, reafirmou hoje, no município da Quibala, província do Cuanza Sul, que será dada uma atenção especial à agricultura familiar, sem desprimor da empresarial, pelo peso que esta representa na economia agrária do país.

Para o governante, esse segmento é um potencial que contribui para a mitigação dos efeitos gravosos da crise social provocada pela pandemia da covid-19 e também suporte da produção de alimentos e do emprego no campo.

O ministro prestou estas informações quando proferia o discurso de abertura da 1ª Feira do Campo, que decorre até sábado, no município da Quibala, sob o lema “Do Campo, Mais Produção, Mais Escoamento e Mais Renda Nacional”.

Victor Fernandes fez saber que o seu pelouro tem desafios urgentes que passam pela adequação comercial, formalização da economia e diversificação das fontes de receitas fiscais para o desenvolvimento das infra-estruturas.

Referiu também que, de Janeiro a Outubro de 2019, foram gastos cerca de USD 1.3 mil milhões em importações de produtos e, no mesmo período, apenas para a importação de arroz gastou-se USD 305 milhões de dólares, a carne e o frango representaram cerca de USD 200 milhões, enquanto o óleo de palma atingiu 180 milhões de dólares.

As importações de açúcar chegaram a USD 111 milhões e a farinha de trigo USD 85 milhões.

Por este facto, o ministro é de opinião que se explorem soluções menos complexas e onerosas para Angola, que impliquem alterações na cultura alimentar e um novo impulso à pequena e média indústria locais para que sejam valorizados os produtos como a chandala, batata rena e doce, mandioca, citrinos, mel entre outras culturas nacionais abundantes no país.

Disse que com a abertura da Feira do Campo na Quibala abre-se uma nova fase de promoção, divulgação, escoamento e comercialização dos produtos agro-pecuários e outros bens de serviço de origem nacional.

A Feira enquadra-se nas acções de implementação do Programa Integrado de Desenvolvimento do Comércio Rural, aprovado em Decreto Presidencial nº 123/20 de 30 de Abril, que orienta a promoção dos produtos nacionais e incentiva a sua compra, aproximando produtores e comerciantes, de modos a efectuarem entre si transacções de mercado justas e benéficas para as partes.

Este programa, prosseguiu, será implementado numa primeira fase em sete províncias pilotos, nomeadamente, Cuanzas Sul e Norte, Malanje, Benguela, Huambo, Bié e Namibe, visando a salvaguarda da produção agrícola que muitas vezes se estraga nos campos por falta de escoamento para os grandes centros.

Para si, o Cuanza Sul é um dos maiores celeiros agrícolas do país, grande fornecedor dos principais mercados abastecedores de Luanda como Catinton, Mercado do 30, Kwanzas e outros.

Augura que esta segmentação de amostra e exposição de produtos nacionais seja contínua, regular e que seja replicada em todos os municípios de Angola.

Disse que a manutenção dessa iniciativa pode garantir para o mercado, entre outros, a regularidade da oferta com a correspondente estabilidade dos preços e dos produtos essenciais.

De igual modo, pode garantir a atenuação dos efeitos monopolistas no mercado de produtos essenciais, o escoamento da produção nacional para os grandes centros de consumo e a promoção da agregação de produtores e distribuidores.

A inauguração da Feira foi agraciada com a presença do ministro da Agricultura e Pecas, António de Assis, secretários de Estado da Agricultura, e do Comércio, governador provincial, Job Capapinha, da representante da FAO em Angola, Gherda Barreto, fazendeiros, agricultores, entre outros.

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisment -spot_img

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Recent Comments